preload-image

DESTAQUES

Rota Vicentina: Turismo e Natureza

Rota Vicentina

Sendo a costa portuguesa uma área de uma imensa beleza natural e com muitos locais interessantes para visitar, houve a necessidade de reafirmar o sudoeste de Portugal como um destino turístico, quer nacional quer internacionalmente. O projeto da Rota Vicentina veio criar um caminho que dinamizasse várias zonas ao longo da costa pela promoção do turismo e das comunidades locais.

Este caminho é constituído por vários itinerários ao longo do Sudoeste português e abarca no seu roteiro diversos locais turísticos de interesse, formado pelo Caminho Histórico, Trilho dos Pescadores e vários Percursos Circulares totaliza 450 km entre a cidade de Santiago do Cacém e o Cabo de S. Vicente.

Para este caminho são promovidas as práticas mais sustentáveis para a mobilidade – a caminhada e até mesmo o ciclismo, que contribuem inegavelmente para a sustentabilidade do meio rural e natural e permitem aos visitantes tomarem o seu tempo para apreciar o património natural, histórico e cultural da região.

   Objetivos do projeto
Com o intuito de conservar os recursos naturais e culturais que se associam à costa sul da Europa e preservar o que torna esta zona tão bela e digna de visita, várias associações, organizações e municípios juntaram-se para tornar este projeto uma realidade.

Os principais objetivos da Rota Vicentina passam por:

  • Promover o Sudoeste português como um destino turístico, sensibilizando todos para a importância ambiental e cultural da região;
  • Ter uma infraestrutura pública que permita às pessoas ter contacto com a natureza e aproximar o turista da comunidade local;
  • Estimular o desenvolvimento de novos negócios e da região;
  • Promover a oferta existente mesmo fora das épocas de maior afluência.

A verdade é que a região tem ganho reconhecimento e atraído muitos turistas para observar as maravilhas naturais espalhadas ao longo da costa e interior. Diariamente, várias pessoas usufruem da Rota Vicentina e houve a necessidade de monitorizar e contabilizar o número de pessoas que ali passavam, por isso a UpNorth Group juntou-se ao projeto com os seus contadores automáticos e atualmente é feita a monitorização por 15 contadores ao longo da região, 13 de pedestres e 2 de pedestres e ciclistas. Desta forma é possível ter compreensão da afluência de pessoas aos diferentes trajetos e fazer uma melhor regulação do número de pessoas que passam em zonas ambientalmente sensíveis.

Prémios e Distinções

É também interessante de referir que este projeto já recebeu vários prémios nacionais e internacionais desde o seu lançamento em 2012. Entre eles estão a Certificação Europeia “Leading Quality Trails – Best of Europe” e o “Green Project Awards Portugal” que tem por objetivo mobilizar a sociedade para o desenvolvimento sustentável.

Se ficou interessado visite o site do projeto e descubra como começar esta caminhada.

Deixe seu comentário

Back-To-Top